Foto: Adriano Gambarini

Foto: Adriano Gambarini

O lobo-guará ocorre em habitats abertos, como áreas de campos e matas de capoeira. Existem registros esporádicos em áreas do bioma Pantanal e de transição do Cerrado e Caatinga e do Cerrado e Amazônia. Já apresenta o bioma de Mata Atlântica como habitat importante a sua ocupação, principalmente nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e Paraná.

Além disso, de forma geral, a espécie tem sido registrada em áreas extensamente alteradas para cultivo e pastagens. Sugere-se que a utilização de áreas de ocupação humana possa ser tanto para forrageio como para descanso, embora elas sejam usadas em uma proporção menor do que áreas naturais ou mais bem preservadas.

Foto: Adriano Gambarini

Foto: Adriano Gambarini

Segundo diversos estudos, a ocupação de habitats de mata atlântica se dá principalmente em áreas de campos, brejos e baixadas alagadas. Em áreas de transição entre Mata Atlântica e Cerrado, no estado de Minas Gerais, observou-se uma forte preferência da espécie por regiões de campos rupestres, evitando fortemente áreas de florestas úmidas.

Por outro lado, outros estudos registraram a ocorrência da espécie em fragmentos florestais e áreas de uso para silvicultura (pinus), em áreas de transição entre Cerrado e Mata Atlântica no estado de São Paulo. Sugere-se em todos os casos que esses habitats podem estar sendo usados para os lobos refugiarem-se durante o dia devido à alta antropização da região (áreas de agricultura e pastagem), apesar deste não ser seu ambiente de preferência.