Foto: Adriano Gambarini

Foto: Adriano Gambarini

Outro problema que também deve ser considerado, embora ainda saiba-se muito pouco quanto à sua gravidade, é o risco de obtenção de doenças a partir do contato com animais domésticos, principalmente onde lobos e cães convivem nas mesmas áreas. Lobos-guarás estão sujeitos a várias doenças transmitidas por cães e, apesar de ainda não avaliado extensamente, sugere-se que o impacto destas doenças pode ser significativo.

Estudos na Bolívia e no Brasil, revelam que animais em contato indireto com cães, apresentam indicativos de várias doenças como raiva, cinomose, parvovirose, leishmaniose entre outras. Às vezes a doença não se manifesta, ou seja, o animal somente teve contato com a doença mas o organismo se defendeu e ele não tem sintomas que prejudicam sua vida.

A morte de indivíduos doentes (cinomose, raiva) ou de proles inteiras de animais portadores de doenças (parvovirose), comprometeriam populações antes saudáveis da espécie. Porém não se sabe ao certo o potencial de sensibilização da espécie às doenças que os lobos vem contraindo.