Untitled-1

 

A instalação das coleiras, do brinco de identificação, além de outras necessidades,  requer a contenção do animal. Os procedimentos de captura variam bastante entre os carnívoros. Para o lobo-guará, instala-se armadilhas do tipo gaiola com portas em fechamento de guilhotina acionadas por um gatilho em plataforma ou preso direto em uma isca, ambos no fundo da mesma. Armadilhas de captura de lobo-guará foram desenhadas especificamente para a espécie, observando a altura e comprimento padrão da espécie, e com objetivo de permitir que o animal tenha movimentação parcial em seu interior, sem riscos de injúrias de qualquer natureza ao ser capturado. A iscagem é realizada com atrativos alimentares e de cheiro (frango cozido, bacon, sardinha, frutas). As armadilhas devem ser checadas toda manhã (e, às vezes, no período noturno), após o horário de atividade dos animais.

Após os lobos serem capturados, devem ser anestesiados por veterinários treinados em trabalhos com animais silvestres. Com o animal anestesiado, dá-se início à primeira parte da investigação. Avaliações sobre as condições físicas dos animais, bem como seu peso, idade, sexo e aspecto clínico, são realizadas através da anamnese geral. A seguir, mede-se o lobo inteiro, todas as suas partes, com o intuito de observar diferenças de peso e saúde em função da idade ao longo do tempo. Paralelamente, coleta-se material biológico, como fezes, urina, sêmen, leite (quando em lactação), pelos, e, principalmente, sangue. As amostras biológicas são fontes inesgotáveis de informações. E o sangue, um componente importantíssimo. Através do sangue, pode-se investigar se o lobo contraiu doenças presentes no meio e realizar estudos genéticos e reprodutivos. As análises podem ser feitas a céu aberto, próximas à própria armadilha, mas, dependendo da necessidade de isolamento para evitar contaminação, as amostras são processadas em laboratórios.

A recuperação de qualquer animal é acompanhada de perto e sua liberação só é permitida após total restabelecimento. Mesmo após a soltura, o animal deve ser monitorado e observado a distância.

MUITO IMPORTANTE:

Somente pessoas autorizadas pelo Governo Federal (ICMBio ou IBAMA) – através de uma licença de pesquisa – pode capturar o lobo-guará e/ou outros animais silvestres. A captura sem devida autorização é considerada CRIME AMBIENTAL e a pessoa sofrerá sanções legais com o ato. O processo de autorização analisa se as armadilhas e o procedimento utilizado, além dos equipamentos a serem utilizados na pesquisa, estão nas conformidades que conferem segurança e priorizam bem-estar e saúde dos animais.

Untitled-2